Hellen Caroline, a Princesa do Pagode, fala sobre assédio: ‘Fico tímida’

Hellen Caroline, a Princesa do Pagode, fala sobre assédio: ‘Fico tímida’

Postado em

Com riso solto e uma voz pra lá de doce e romântica, Hellen Caroline já é considerada a Princesinha do Pagode e está cada vez mais conquistando espaço em um universo dominado por homens. Mas isso não assusta a jovem de 27 anos: “Tive um pouco de receio, sim, mas nunca tive medo. Foi tudo fruto do meu suor e todos me respeitam bastante.”
O título de Princesinha do Pagode, aliás, não a incomoda nem um pouco.”Estou muito feliz, quero ser a precursora, quero que venham mais cantoras de pagode. Só não acho que eu seja a princesinha certinha, sabe? Sou mais para maluquinha (risos). Sou bem romântica, mas também bemextrovertida”, explica a morena.

Mesmo se considerando mais “soltinha”, Hellen conta que na hora do assédio a timidez acaba predominando: “Nessas horas fico sem graça. Quando vou nos lugares e as pessoas ficam me olhando, acabo ficando tímida. Mas adoro receber o carinho do público, tanto pessoalmente quanto nas redes sociais, mas confesso que a ficha não caiu ainda. Eu tenho muito pé no chão, sempre sonhei com isso. Mas eu não quero fama, quero mostrar meu trabalho, quero que as pessoas me conheçam através da minha música.”
‘Não gosto de ficar cada hora com um’
Para os marmanjos de plantão, Hellen faz mistério na hora de dizer se está solteira ou namorando. “Meu coração está sempre apaixonado”, conta a cantora, que diz ainda que segue mais a linha à moda antiga: “Eu gosto de namorar, namorei cinco anos, depois quatro. Acho bacana ter alguém para compartilhar as coisas. Claro que já tive a fase de sair e curtir. Mas não gosto de ficar cada hora com um, eu respeito quem faz e não sou contra, apenas isso não é para mim.”

Hellen começou a cantar aos 5 anos em Ubatuba, sua terra natal, e participou do coral na fundação de artes da cidade no interior de São Paulo. “Eu sempre fui apaixonada por música. Nunca quis fazer outra coisa na vida. Era daquelas que sentava no sofã e fingia que do meu lado estava o Jô Soares, sabe? Eu ‘dava entrevista’, usava a escova de cabelo como microfone”, conta aos risos.
A cantora conta que a paixão pelo pagode teve forte influência de sua irmã mais velha, Michele: “Ela era pagodeira, ouvia Belo, Soweto, Travessos, Alexandre Pirese eu acabei me apaixonando. Aliás, estes são minhas grandes influências na hora de compor.”
Aos 16 anos a cantora já começou a trabalhar com música profissionalmente e entrou para uma banda de baile: “Mas sentia necessidade de cantar o que eu gosto. Banda de baile é apenas do jeito que o dono do grupo manda.” Foi em 2011 que as coisas começaram a mudar para Hellen. A jovem ficou em terceiro lugar no programa “Ídolos” e, desde então, passou a divulgar seu material no YouTube. “Quando saí do programa, comecei a compor mais e perdi a vergonha de mostrar meu trabalho”, conta a morena.

Fã de Rodriguinho

Enquanto isso, Hellen montava sua banda de pagode e produzia de forma independente seu primeiro disco. Em 2013, surgiu a grande oportunidade: uma amiga contou que Rodriguinho seria jurado no concurso “Mulheres que brilham”, do programa Raul Gil. “Eu era superfã dele. Enviei meu material para lá pois queria muito mostrar minha música para o Rodriguinho. Foi muito bom ganhar a disputa e escolher ele como produtor do meu disco”, conta.
Hellen lançou seu disco em março deste ano e não parou mais. A agenda de shows mudou a rotina da cantora. “Sonhei a vida toda com isso e estou muito feliz. A única coisa difícil é ficar longe da Bianca”, diz a cantora, referindo-se à sobrinha de 11 anos, de quem ela cuida como filha: “Minha irmã teve Síndrome do Pânico e depressão pós-parto, então ajudei sempre. Eu tinha apenas 16 anos, ela é meu tudo.”
E ela não quer parar por aí. A morena quer construir uma família grande: “Eu não apenas sonho em casar, eu vou casar! (risos) Queria ter mais quatro filhos. Não sei se vai dar tempo, né? Agora minha prioridade é a carreira, mas posso adotar também.”